• Veus

Assintomáticos: testagem pode ser peça-chave para frear propagação do coronavírus

Atualizado: Ago 13





Desde o primeiro caso registrado de Covid-19, em dezembro do ano passado, na província de Wuhan, na China, a doença vem se espalhando rapidamente e, até julho de 2020, já são mais de 15 milhões de infectados pelo mundo.


A doença afeta as pessoas de diferentes maneiras e a maioria dos pacientes apresenta sintomas leves a moderados, sem maiores complicações. Alguns casos podem se desenvolver de forma mais grave, como em pessoas com doenças pré-existentes. Porém, estudos estimam que quatro em cada 10 pessoas infectadas nunca apresentarão indícios da Covid-19.


A ausência de sintomas gera riscos, tanto para os infectados - que mesmo sem indícios podem apresentar infecções subclínicas no pulmão, por exemplo - quanto para os demais indivíduos.


De acordo com dados preliminares sobre o novo coronavírus, a transmissão pode ocorrer mesmo sem o aparecimento de sinais e sintomas. Segundo pesquisa da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, publicada em março, os assintomáticos foram responsáveis por transmissões de 46% a 62% dos casos na China.


Isso quer dizer que esses indivíduos aparentemente saudáveis são potenciais propagadores do vírus e podem transmiti-lo por um período de até 14 dias. Seu rastreamento pode ser peça-chave para traçar estratégias de prevenção e conter o avanço do número de infectados.

Assintomáticos X Pré-sintomáticos

Os sintomas mais comuns da doença já são bem conhecidos: febre, tosse seca, dor de garganta e cansaço. Ainda, a infecção pode causar dores e desconfortos, diarreia, conjuntivite, perda de paladar ou olfato, erupções cutâneas e, nos casos mais graves, dificuldade de respirar ou falta de ar, dor ou pressão no peito e, até mesmo, perda de movimento.


Em média, os sintomas costumam aparecer em até cinco dias após o contágio, mas esse período pode levar até 12 dias. É por esse motivo que os períodos de isolamento e monitorização utilizam, comumente, o intervalo de 14 dias, garantindo que os indivíduos infectados sejam identificados caso comecem a apresentar sintomas.


A diferença entre os assintomáticos e os pré-sintomáticos é que, enquanto os primeiros estão infectados com o coronavírus mas não desenvolvem nenhum sinal da doença, o segundo grupo ainda não chegou a apresentar sintomas. Ambos são agentes transmissores e devem ser monitorados.

- Risco silencioso

Para quem carrega o vírus e não sabe, o pior cenário é tornar-se um propagador involuntário da doença. O convívio sem restrições com familiares, amigos e colegas de trabalho sem ter a certeza de que está efetivamente saudável aumenta o perigo da disseminação silenciosa da doença.


A transmissão por pessoas sem sintomas reforça a importância da manutenção de medidas de isolamento social, do uso contínuo de máscara e da higiene das mãos, além de um aumento na escala de realização de testagem para o coronavírus, a fim de identificar e isolar casos assintomáticos e subnotificados da doença.


Responda ao nosso Quiz e se informe sobre os exames de anticorpos para COVID-19.



52 visualizações

VEUS SAÚDE TLP - TESTE LABORATORIAL PORTÁTIL

Av. Beira Mar 262 - 5 andar - Centro Rio de Janeiro, RJ 20021-060 - BRASIL

+55 21 3005-3702

+55 21 97509 0558  VEUS ZAP

tlp@veus.com.br

instagram.png
facebook.png
linkedin.png
youtube.png

Powered by

VEUS_04.png
whats.png